Arrastão contra dengue atinge 25% de todos os imóveis da cidade

Desde o início de janeiro, as equipes antidengue da Prefeitura de Sumaré já visitaram 18.699 imóveis da cidade, o equivalente a quase 25% de todos os imóveis da cidade. É o que revela o mais recente balanço de casos e ações divulgado nesta segunda-feira, 09 de março, pelo Departamento de Saúde Coletiva da Secretaria Municipal de Saúde. No entanto, apenas 56,92% desse total, exatos 10.645 imóveis e quintais, puderam ser efetivamente vistoriados em busca de “criadouros” das larvas do mosquito transmissor do vírus da doença.

Este problema é causado por dois motivos. Primeiro, porque muitos imóveis são encontrados “fechados” pelas equipes de controle vetorial, ou seja, sem moradores em casa naquele momento. Mas, neste caso, as equipes retornam posteriormente para tentar novamente fazer seu trabalho. Este foi o caso em 6.970 imóveis, ou 37,27% do total, que voltarão a ser visitados.

O número que realmente preocupa é outro: os moradores de 638 imóveis, 3,41% do total, simplesmente se recusaram a deixar os Agentes de Controle de Endemias (ou Agentes de Saúde) entrarem nestas propriedades e fazerem seu trabalho, e em outras 112 residências só foi permitida a entrada parcial, colocando, em ambos os casos, suas próprias famílias e seus vizinhos em risco.


Os agentes antidengue da Prefeitura podem ser facilmente identificados pela população, pois trabalham uniformizados, identificados por crachás e são transportados por veículos oficiais do Município. Para finalizar a conta, 329 imóveis estavam desabitados, ou seja, não ocupados.

Por exemplo, o bairro com maior número de imóveis visitados é o Jardim Maria Antonia: 3.569. Destes, 2.625 foram trabalhados pela equipe, 789 estavam fechados e 105 proprietários recusaram a visita técnica da equipe antidengue da Prefeitura.

CASOS DA DENGUE

Até o momento, a cidade, que está em estado de emergência desde fevereiro, registrou 466 casos confirmados de dengue neste ano. Assim como no ano passado, a previsão dos órgãos de Vigilância é que a doença atinja milhares de pessoas na cidade – número que só vai cair dependendo da adesão da própria população no combate ao mosquito transmissor da doença. Foi registrado um óbito por dengue grave no ano e outros dois casos estão em investigação.

#SUMARECONTRADENGUE

Enquanto isso, a campanha de conscientização nas redes sociais deflagrada recentemente pela Prefeitura, através das secretarias de Saúde e de Comunicação Social, já ganha importantes apoios. Já aderiram à iniciativa #SumareContraDengue, “curtiram” a fanpage (página) da Prefeitura no Facebook e “compartilharam” (multiplicaram) as dicas contra o mosquito entre seus seguidores instituições como o Instituto de Promoção do Menor de Sumaré (através da sua coordenadora pedagógica Eise Maria), a Yara Fertilizantes e a Honda Automóveis do Brasil.

Já estão sendo distribuídos 150.000 panfletos de orientação da campanha, entre outros materiais – como cartazes e faixas que serão afixados em pontos estratégicos e prédios de grande circulação de pessoas em todas as regiões. A campanha online, com informações, orientações e dicas diárias.

PAPEL DA POPULAÇÃO

A Secretaria Municipal de Saúde reforça o apelo para que toda a população contribua com o combate ao mosquito, através da eliminação de possíveis criadouros da larva do vetor nos quintais e residências. Podem se tornar potenciais “berços” para reprodução do mosquito toda e qualquer objeto que possa acumular água limpa e parada. Mais de 80% dos criadouros estão no interior dos imóveis particulares.

A conscientização de cada família para que se mantenha alerta constante dentro de casa é essencial para o sucesso no combate ao mosquito, pois estudos de avaliação de densidade larvária realizados no município apontam que a maior parte dos criadouros e larvas do mosquito se encontram dentro ou no entorno dos domicílios, cabendo a todo cidadão investir nos cuidados e limpeza dos imóveis para deixar os ambientes livres desse perigo.