DAE troca mais uma bomba para melhorar captação de água

O DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Sumaré está trocando mais uma das bombas de captação de água que servem à ETA (Estação de Tratamento de Água) 2, localizada no Parque Itália e responsável pela distribuição nas regiões do Maria Antônia, Picerno, Nova Veneza e Matão. O trabalho na Estação de Captação do Rio Atibaia começou nesta terça-feira, dia 3 de fevereiro, e tem previsão de término na quarta-feira, dia 4. A ação é necessária para aumentar a capacidade de bombeamento de água bruta do Rio Atibaia até a ETA 2. A primeira bomba, trocada na semana passada, já gerou um considerável ganho de desempenha nesta captação.

“Após vários testes, foi identificada a necessidade da substituição de duas a três das cinco bombas existentes na captação do Atibaia, o que vai gerar um melhor e mais ágil bombeamento e será primordial para uma melhor captação. O objetivo da troca do equipamento é restabelecer os níveis normais de captação, tratamento e estabilização de todo o sistema de abastecimento no Município”, adiantou a diretoria da autarquia.

Nesta terça e quarta-feira, reforçou o DAE, a população das regiões atendidas pela ETA 2 podem sentir uma queda na pressão das ligações domiciliares, principalmente nas partes mais altas dos bairros, uma vez que a captação está trabalhando com apenas quatro bombas (uma nova e três antigas) até o término dos serviços nesta unidade.


De acordo com o presidente do DAE, Valmir Ferreira da Silva, “estamos em meio a uma crise hídrica que afeta toda a região e a dificuldade em captar água bruta no rio e nas represas que abastecem a cidade é real”. “Além disso, a Região Sudeste como um todo sofre com uma onda de calor nos últimos dias, que normalmente leva a um aumento no consumo de água tratada. O acúmulo destes problemas faz com que sejam necessárias manobras operacionais, que estão sendo executadas pelas equipes do DAE, sempre com o intuito de a diminuir e diluir os impactos da queda nas capacidades de tratamento de água pelas ETAs”, explicou.

“Como já explicamos, estas manobras podem acarretar uma queda pontual e momentânea na pressão nas redes de distribuição nos bairros destas regiões, principalmente nos pontos mais altos destas localidades”, completou Valmir.

O volume disponível nos reservatórios de água tratada voltará ao normal ao término da troca das bombas. Enquanto isso, o DAE solicita que toda a comunidade atendida pela autarquia utilize a água tratada com moderação e máxima economia. Também é pedida a compreensão dos consumidores mais afetados, que sofrem com intermitência no abastecimento.