Defesa Civil de Sumaré alerta para cuidados em período de estiagem

Mais de 96 mil metros quadrados de mata foram destruídas pelo fogo nos últimos 30 dias

 A Secretaria de Defesa Civil de Sumaré reforça o trabalho de orientação sobre cuidados em período de estiagem e alerta para o risco de queimadas e, consequentemente, os prejuízos à saúde. Neste período, a umidade do ar apresenta índices mais baixos, principalmente durante as tardes, deixando o tempo mais seco. Entre segunda-feira (18) e sexta-feira (22), por exemplo, a umidade relativa do ar em Sumaré variou entre 34% e 37%, ao longo do dia. Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), o ideal para o organismo humano são índices entre 40% e 70%.

Apenas nos últimos 30 dias, aproximadamente 96 mil metros quadrados de mata foram queimadas em razão dos incêndios. A maior área atingida é a localizada em um sítio no Parque Silva Azevedo, na região de Nova Veneza, onde o fogo atingiu 24 mil metros quadrados da propriedade. Na última semana, uma ponta de cigarro acessa foi responsável pelo incêndio em 10 mil metros quadrados do Parque do Horto Florestal. Os responsáveis foram presos.

O superintende da Defesa Civil, Demétrio Matheus Moreira, afirma que a população pode fazer a sua parte para evitar focos de incêndio. De acordo com ele, deve-se evitar o descarte irregular de lixo e, principalmente, não colocar fogo em resíduos. A prática, além de proibida, pode sair do controle e gerar um incêndio de grandes proporções.

“A baixa umidade relativa do ar, combinada com ventos fortes, faz com que o fogo se espalhe com mais facilidade e rapidez”, explica. Moreira lembra ainda a proibição do balões, pela lei 9.605/98.


É importante também que cigarros e fósforos não sejam jogados nas rodovias e vias que passam por áreas de mata. “Deve-se evitar ainda qualquer tipo de queimada, exceto aquelas para fins agrícolas, como cana e algodão, que são regulamentadas por lei”, completa o superintendente.

Sempre que houver indício de fogo ou sinal de fumaça, a população precisa comunicar a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros para que as chamas possam ser combatidas o mais rápido possível.

“Lembrando os munícipes também podem usar os telefones para denúncias em casos descarte irregular de lixo, pelo 0800 773 8900 do GPA (Grupo de Proteção Ambiental), pelo 153 da GCM (Guarda Civil Municipal) ou pelos telefones das Administrações Regionais, além do 193, do Corpo de Bombeiros em caso de queimadas”, reforça Moreira.