Defesa Civil de Sumaré faz alerta sobre baixa umidade relativa do ar

A Defesa Civil de Sumaré mantém o estado de “alerta” desde o início desta semana devido aos baixos índices de Umidade Relativa do Ar (UR), chegando a 19% e com previsão de declínio nos próximos dias. A condição vale para todo Estado de São Paulo, mas em especial para algumas regiões, entre elas a RMC (Região Metropolitana de Campinas).

“Estamos passando pelo período de temperaturas mais amenas e tempo seco, mas a umidade relativa do ar está abaixo do normal e, por isso, os cuidados com a saúde devem ser redobrados já que a condição pode representar riscos para a saúde da população, em especial para as pessoas que sofrem com problemas respiratórios”, explicou o superintendente da Defesa Civil de Sumaré, Demetrio Mateus Moreira.

Dores de cabeça, alergias, congestionamento nasal, garganta seca e irritada, sensação de areia nos olhos, ressecamento da pele, esses podem ser alguns dos sintomas do ar seco. Para amenizar os efeitos no organismo, a Defesa Civil e a Secretaria Municipal de Saúde de Sumaré fazem algumas orientações:

  • Mantenha o corpo bem hidratado, beba bastante água mesmo sem sentir sede. Uma boa dica é manter uma garrafinha de água sempre ao alcance. E fique atento à hidratação de crianças, idosos e pessoas enfermas;
  • Evite a prática de exercícios físicos entre 10 e 16h;
  • Aplique soro fisiológico no nariz e nos olhos para evitar o ressecamento;
  • Lave as mãos com frequência e evite levá-las à boca, nariz e olhos (precaução que também ajuda a evitar a contaminação por Covid-19);
  • Na hora do lanche ou da sobremesa, prefira frutas ricas em líquidos. Melancia, melão e laranja são bons exemplos;
  • Use produtos específicos para a hidratação da pele do rosto e do corpo, principalmente depois do banho e antes de dormir;
  • Óculos escuros e chapéus também ajudam a se proteger do sol;
  • Mantenha os quartos umidificados, com o uso de vaporizadores ou colocando bacias e toalhas molhadas no ambiente;
  • Evite a permanência em locais fechados ou com ar condicionado, pois o ressecamento das mucosas aumenta o risco de infecções das vias aéreas;
  • Casa limpa e arejada é sinônimo de saúde. O tempo seco aumenta a concentração de ácaros, fungos e da poeira em móveis, cortinas e carpetes;
  • Procure não utilizar vassouras para não levantar o pó. Prefira aspiradores ou panos úmidos;
  • Ligue os ventiladores de teto para cima. Ligados para baixo, levantam poeira que se mistura ao ar que você respira;
  • Não queime lixo nem provoque queimadas. É crime e prejudica a saúde de todos!

Em caso de emergência,  ligue para 199 (Defesa Civil) ou 193 (Bombeiro Municipal).

Queima Controlada


O Decreto Federal nº 10.735, de 28 de junho de 2021, suspendeu por 120 dias a permissão de Queima Controlada, prevista no Decreto nº 2661 de 1998.  Considera-se Queima Controlada o emprego do fogo como fator de produção e manejo em atividades agropastoris ou florestais, e para fins de pesquisa científica e tecnológica, em áreas com limites físicos previamente definidos.

As únicas hipóteses que não se enquadram na suspensão são:

I – práticas de prevenção e combate a incêndios realizadas ou supervisionadas pelas instituições públicas responsáveis pela prevenção e pelo combate aos incêndios florestais no País;

II – práticas agrícolas de subsistência executadas pelas populações tradicionais e indígenas; 

III – atividades de pesquisa científica realizadas por Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação – ICT, desde que autorizadas pelo órgão ambiental competente;

IV – controle fitossanitário, desde que autorizado pelo órgão ambiental competente;  

V – queimas controladas em áreas não localizadas nos biomas Amazônia e Pantanal, desde que sejam: 

a) imprescindíveis à realização de práticas agrícolas; e 

b) previamente autorizadas pelo órgão ambiental estadual ou distrital, nos termos do disposto no Decreto nº 2.661, de 1998.