torneira

ESTIAGEM | Sumaré entra em temporada seca com chuvas de abril 77% abaixo da média histórica

BRK tem plano de contingência estruturado para o enfrentamento da estiagem e orienta população sobre a importância do uso consciente de água.

Outono e inverno são estações tradicionalmente mais secas, em que um menor volume de chuvas já é esperado. E mesmo não sendo nenhuma novidade no calendário anual, a estiagem ainda merece atenção. Isso porque ela tem se antecipado e se tornado cada vez mais prolongada, a cada ano. Em 2021, por exemplo, Sumaré registrou 30% menos chuva que a média histórica dos últimos anos na cidade. E em 2022, a condição de atenção se mantém. 

Em abril, foram registrados 16,6 milímetros de chuva; volume 20% abaixo do ocorrido no mesmo período do ano passado e 77% inferior à média histórica do mês no município, de acordo com dados do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), responsável por medir o volume de chuvas no estado de São Paulo, e de equipamentos instalados pela BRK nos mananciais de captação da cidade.

O consórcio PCJ, das bacias hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ), onde Sumaré está inserida, divulgou, no final de abril, que as chuvas nos municípios de sua área de atuação atingiram 65% apenas do volume da média histórica, refletindo nos níveis e vazões dos rios. 

Os mananciais de captação de água em Sumaré – o rio Atibaia e as represas Horto I, II e do Marcelo – se encontram atualmente com condições seguras para a manutenção do abastecimento regular de água, porém o volume de chuvas acumulado neste ano na cidade já indica um sinal de alerta frente ao período de seca que está apenas em seu início.


“Além do acompanhamento das chuvas e do monitoramento diário dos mananciais, temos agido preventivamente reforçando nossas ações de melhorias e investimentos em todo o sistema de água do município; medidas que têm papel fundamental num possível agravamento da disponibilidade hídrica durante o ano”, informa o gerente de operações da BRK, Rodrigo Zangirolami.

A concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto da cidade já tem colocado em prática ações definidas num plano de contingência de estiagem. As obras de desassoreamento da represa Horto I fazem parte desse plano. Os trabalhos que estão em andamento, com um avanço de 62%, têm por objetivo aumentar a capacidade de armazenamento e reservação da água bruta do manancial. A represa Horto I direciona água para a ETA I, estação de tratamento localizada na Vila Menuzzo, que abastece 30% do município.

“As ações de melhorias ao sistema operacional e todos os investimentos realizados para ampliar a capacidade de reserva de água, obras para a troca de redes, combate a vazamentos e, principalmente, a redução das perdas de água são de grande importância. Superamos 2021 adotando medidas preventivas para o enfrentamento dos meses mais secos, e neste ano não será diferente”, afirma o gerente.

A BRK também orienta sobre a importância do uso consciente de água a partir desses meses iniciais do período seco. “Esperamos contar com o apoio de todos com mudanças de hábitos necessárias, evitando desperdícios. A participação da comunidade nesse contexto é fundamental para evitar o agravamento de medidas mais restritivas ao consumo ao longo do ano”, destaca Zangirolami.

Dicas para um Consumo Consciente de água:
•    Mantenha a torneira fechada ao escovar os dentes, fazer a barba e ao ensaboar a louça. Ao escovar os dentes com ela aberta, você gasta cerca de 13,5 litros de água em apenas dois minutos.
•    Tome banhos curtos. Cinco minutos são suficientes para fazer a limpeza do corpo e, enquanto você se ensaboa, o registro deve ser fechado. Isso gera uma economia de até 30 mil litros no ano.
•    Preste atenção e conserte eventuais vazamentos na sua casa. Um buraco de apenas 2 milímetros na tubulação de uma única casa desperdiça 3.200 litros de água por dia.
•    Organize a louça antes de lavá-la. Use uma bacia para deixar os utensílios de molho, para amolecer a sujeira, lave toda a louça e enxágue tudo de uma única vez. Isso também ajuda na economia.
•    Troque a mangueira pela vassoura. Lavar a calçada com mangueira pode representar um consumo aproximado de 120 litros de água. 
•    Converse com as pessoas à sua volta sobre o consumo consciente de água, incentive ações de economia e redução no uso desse bem tão valioso.