GCM de Sumaré encerra evento de grande porte e orienta cerca de 1,8 mil pessoas em abordagens educativas

Por determinação do prefeito Luiz Dalben, a Guarda Municipal de Sumaré (GCM), juntamente com as polícias Civil e Militar, com o apoio da Vigilância Sanitária e demais secretarias municipais, realizou no último fim de semana mais uma megaoperação visando o cumprimento das medidas restritivas previstas nos decretos Estadual e Municipal para enfrentamento à Covid-19.

Chamadas de “Operação Saturação”, as blitze aconteceram de sexta a domingo (de 25 a 27 de junho) em diversos bairros da cidade, em especial naqueles onde as ocorrências são mais frequentes. De acordo com balanço da GCM, a força-tarefa contra o Coronavírus resultou em 8 averiguações de perturbação do sossego e 13 ocorrências de descumprimento do decreto. As equipes também fiscalizaram e “baixaram as portas” finalizando o atendimento em  21 estabelecimentos comerciais, resultando na elaboração de 3 autos de imposição de penalidade, no valor de R$ 16 mil cada. Cerca de 1.800 pessoas que estavam nesses locais foram orientadas por meio de abordagens educativas e 12 foram apresentadas ao plantão policial de Sumaré, entre testemunhas e responsáveis pela realização de eventos com aglomeração.

“Por meio de denúncia pelo telefone 156 da prefeitura foi possível encerrarmos um evento de grande porte no bairro Monte Alegre. Pela manhã, a fiscalização chegou a tempo, impedindo o início da festa e, à noite, em nova operação, encerramos esse mesmo evento que reunia aproximadamente mil pessoas, encaminhando os responsáveis ao plantão policial. Reforçamos que a colaboração dos moradores é fundamental para que possamos alcançar êxito nessas operações que têm o objetivo principal de preservar da saúde de todos!”, disse o secretário de Segurança Pública de Sumaré, Ricardo Zequin.

As operações ocorrem com base na Lei Municipal nº 6.539/2021, que prevê multas para organizadores e participantes de festas clandestinas e concentrações em praças e avenidas da cidade, além de averiguar e orientar o funcionamento do comércio. As multas vão de R$ 3.500 a R$ 16.500 dependendo da infração e, em caso de reincidência, o valor pode dobrar.  As ações também utilizam o sistema de videomonitoramento e leitores de placas para identificar concentração de veículos, principalmente em praças públicas, que venham a causar perturbação do sossego público, do bem-estar e da segurança da comunidade.

“As operações foram intensificadas, mas contamos com o apoio da população, não promovendo ou participando de aglomerações, respeitando e colocando em prática as medidas de prevenção, isso tudo é fundamental para que possamos barrar a circulação do vírus”, reforçou o prefeito Luiz Dalben.