Justiça condena prefeito Ângelo Perugini, por improbidade administrativa

A Justiça de Hortolândia condenou o prefeito de da cidade, Ângelo Perugini, por improbidade administrativa. Também foram condenados dois ex-servidores do município.

Eles foram acusados pelo Ministério Público na sentença, que ocorreu em 2009 um favorecimento em horas pagas a uma empresa de serviços de limpeza e conservação contratada por meio de licitação.

O atual prefeito, nega qualquer irregularidade e continua no cargo, mesmo com a sentença, já que a decisão cabe recurso.


Ângelo Perugini (PDT) foi eleito em 2016 em seu terceiro mandato, disse ao Portal Hortolândia que irá recorrer da decisão.

Em nota a Assessoria diz:

O prefeito Angelo Perugini está tranqüilo e sereno em relação à decisão da 1ª Vara Civil de Hortolândia. A decisão é de 1ª instância e cabível de recursos no âmbito do próprio município e em outras instâncias. O corpo jurídico particular do prefeito já trabalha para recorrer da sentença.

Perugini, que administra Hortolândia pelo terceiro mandato, sempre confiou na Justiça e na legalidade que envolveu todo o processo de contratação da O.O. Lima Empresa Limpadora Ltda, em 2009.

A decisão da 1ª Vara de Hortolândia não tem alcance jurídico para determinar o afastamento imediato do prefeito.

A confiança de Perugini na Justiça se baseia em processos anteriores, nos quais opositores apostaram na impossibilidade dele assumir a Prefeitura. A situação jurídica é semelhante. Seus advogados já preparam a defesa, cuja elaboração apontará os lapsos que levaram à decisão da 1ª Vara local.

Eleito para governar a cidade até 2020, Angelo Perugini continua com o projeto de desenvolvimento de Hortolândia. Para isso, criou o PIC – Programa de Incentivo ao Crescimento, que buscar criar as condições urbanas, ambientais, sociais e humana para que a cidade cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos.

Por Cézar Henrique