sábado, junho 23

Prefeitura de Sumaré inicia Avaliação de Densidade Larvária no Município

Sumaré, 9 de janeiro de 2018

 

A Prefeitura de Sumaré, por meio da Unidade de Controle de Vetores, iniciou nessa terça-feira, 9 de janeiro, a Avaliação de Densidade Larvária (ADL) no Município. Até o fim de janeiro, deverão ser vistoriados cerca de 4.200 imóveis em toda a cidade, com a coleta domiciliar de amostras para atualização do Índice de Breteau.

“O objetivo é medir o nível de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti nos imóveis de todas as regiões da cidade. Ele é calculado de acordo com o número de focos encontrados nos domicílios vistoriados e permite identificar o tipo de criadouro predominante em cada região”, explicou o secretário de Saúde, Rubens Gatti.

O trabalho começou pelos bairros das regiões do Jardim João Paulo e Jardim Picerno e será estendido pelas outras seis áreas do município, como Jardim Primavera, São Domingos, Campo Belo, Virgínio Basso e outros bairros próximos até os parques Virgílio Viel e Jatobá; Parque da Amizade, jardins Santa Maria, Dall’Orto, Santa Carolina, Volobueff e bairros próximos até o Parque Salerno; jardins Manchester, Trevo, Mineápolis, Dulce e Parque Ideal; região do Matão.

“O resultado dessa pesquisa contribui para a preparação e intensificação das ações de combate ao Aedes aegypti ao longo do ano, priorizando e empenhando esforços em regiões com maior risco, com a realização de mutirões para identificar e eliminar criadouros, além da orientação aos moradores. Esse trabalho é fundamental para mantermos baixos os índices de dengue no município. Em 2017 houve uma redução drástica nesses números de 88% comparado ao ano anterior – 56 casos contra 456”, disse o prefeito Luiz Dalben.

Para realizar o levantamento dos dados, os agentes precisam entrar os imóveis, por isso, é importante que a população contribua com o trabalho. Os agentes estão devidamente identificados e, em caso de dúvida, o morador poderá entrar em contato pelo Disque Dengue: (19) 3883-6014. Durante o trabalho, os colaboradores municipais também orientam os moradores sobre os cuidados para evitar criadouros.

A avaliação é realizada três vezes ao ano, durante os meses de janeiro, julho e outubro. O índice larvário geral do município em janeiro de 2017 foi de 2,5%.