Programa Saúde nas Escolas já atendeu 15 mil alunos de Sumaré em 2022

Orientações de saúde bucal e alimentação saudável estão entre as ações, que foram interrompidas por dois anos em razão da pandemia de Covid-19

Desde o início deste ano, 15 instituições municipais de ensino de Sumaré e cinco estaduais já receberam o Programa Saúde nas Escolas (PSE), levando atendimento médico e odontológico a cerca de 15 mil do município. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde de Sumaré.

Já participaram do programa as EMEIs (Escolas Municipais de Ensino Infantil) Jardim Lúcia, Borboletinha Azul, Visconde de Sabugosa, as EM (Escolas Municipais) Sabidinho, Palhacinho Dengoso, Parque das Nações, Parque Bandeirantes 2, Reino da Garotada, André De Nadai, Jardim Denadai, Augusta Ravagnani, Neusa de Souza, Oswaldo Rooncolatto, a EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Nilza Thomazini, o Instituto Bem Querer e as EEs (Escolas Estaduais) Wadih Jorge Maluf, Solange Maura Albino, Luiz Henrique Marchi, Antônio do Valle Sobrinho e Maria de Lourdes Martins. 

O PSE tem como objetivo contribuir para a formação integral dos estudantes por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino. O programa foi interrompido por dois anos, durante o ensino remoto em razão da pandemia de Covid-19.

De acordo com a secretaria, desde janeiro foram realizados atendimentos odontológicos, distribuição de kits de higiene bucal, com creme dental e escovas a todas as crianças. Em algumas unidades foram ainda atualizadas carteiras de vacinação e orientação sobre alimentação saudável e antropométrica.


“Esse trabalho começou concomitante ao ano letivo. As escolas recebem vídeos para orientação e na segunda quinzena de maio será realizada a “Semana da Alimentação Saudável”, afirma a enfermeira responsável pelo PSE, Ana Paula Custódio Castro.

Ela explica que cada unidade deve elaborar a própria programação, além de definir as outras atividades relacionadas ao tema que acontecerão ao longo ano. 

“Nessas orientações os alunos passam por avaliação da composição corporal para saber se estão dentro das tabelas de peso e altura esperados. Se estiver acima do peso, a criança é encaminhada a UBSs (Unidades Básicas de Saúde) para dar continuidade à avaliação, onde terão também atendimento pediátrico e acompanhamento nutricional, com profissionais do NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família) e do Ambulatório Médico de Especialidades”, completa.