Connect with us

Nossa Cidade

Sumaré limpa vias após cheia do Ribeirão Quilombo

Publicado

em

Após concentrar seus esforços no socorro às famílias afetadas na terça-feira, a Prefeitura de Sumaré pôde começar nesta quarta-feira, dia 8 de junho, os trabalhos de limpeza das vias públicas afetadas pela cheia do Ribeirão Quilombo, bem como o atendimento complementar aos desabrigados e desalojados pelas águas. Durante toda a noite, as equipes da Defesa Civil vistoriaram e monitoraram os pontos alagados, que voltaram à normalidade durante a madrugada. Na manhã desta quarta-feira já não havia mais imóveis ou pontos alagados na cidade.

Durante todo o dia, as famílias atingidas pela cheia que estavam abrigadas no Centro Esportivo Municipal foram conduzidas de volta para suas casas. Também houve a limpeza das ruas alagadas e a prestação de assistência para as famílias que também foram desalojadas, mas optaram por permanecer nas casas de parentes e amigos. No total, cerca de 300 famílias foram afetadas, em quatro bairros.

Conforme as residências foram sendo liberadas pela Defesa Civil Municipal, as famílias alojadas no Centro Esportivo Municipal, abrigo provisório, voltaram para as casas com kits de limpeza, colchões, alimentos, cobertores, travesseiros e roupas. Essas famílias foram acompanhadas por equipes da Secretaria de Inclusão e Assistência Social.

Para as famílias que tiveram as residências atingidas, mas que se abrigaram em casas de parentes ou amigos, os CRAS (Centros de Referência de Assistência Social) das regiões afetadas ficaram de plantão para prestar atendimento. Essas famílias podem continuar procurando os órgãos em busca de auxílio. Todas estão recebendo os kits básicos. Também será feita uma visita domiciliar, para as assistentes sociais da Prefeitura realizarem o levantamento das maiores necessidades de cada casa. Até a tarde deste dia 8, cerca de 40 famílias já haviam buscado atendimento da Inclusão Social.

Já as equipes da Secretaria de Serviços Públicos iniciaram a limpeza das vias públicas em três frentes: Jardim São Domingos, Jardim Primavera e Jardim Basilicata. As vias atingidas começaram a ser lavadas. Também teve início o recolhimento do material descartado pelas famílias, que estão sendo concentrados em um único ponto de cada rua para posterior recolhimento por caminhões da Prefeitura.

Publicidade

“Monitoramos todos os pontos e todas as residências atingidas, mas continuaremos com o trabalho pelos próximos dias. Todas as casas foram vistorias e não há mais nenhuma família desabrigada”, disse Josué Fernandes dos Santos, superintendente da Defesa Civil de Sumaré.

CHEIA DO RIBEIRÃO QUILOMBO

Entre esta segunda-feira, dia 6 e terça-feira, dia 7, choveu 60 milímetros, totalizando 112,5 milímetros acumulado desde sábado. Como o solo já estava saturado pelas chuvas dos últimos dias, a calha do ribeirão não aguentou e extravasou, alagando pontos críticos da cidade, nos Jardins Primavera, Basilicata, Manchester , Picerno e São Domingos. Cerca de 300 residências foram atingidas pelas águas.

Durante toda a noite de segunda para terça, as equipes da Defesa Civil vistoriaram e monitoraram os pontos alagados e prestaram atendimento às famílias que tiveram as residências alagadas. Ainda durante a madrugada, as famílias sob risco de terem suas casas alagadas foram orientadas a deixarem suas casas, por precaução. Além dos alagamentos, houve uma erosão da passagem de nível do Parque das Indústrias, na Região do Maria Antônia.

A maioria das famílias desalojadas optou por permanecer na casa de parentes ou vizinhos, porém, cerca de 60 pessoas foram conduzidas para o abrigo temporário oferecido pela Prefeitura no Centro Esportivo Municipal. Equipes dos CRAS São Domingos e Basilicata prestaram assistência aos munícipes, assim como servidores da Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer.

Publicidade

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS
Compartilhar no Facebook

Publicidade